Bem viver
24
abril

8 atividades físicas para combater o estresse e a ansiedade

A prática regular de atividade física é um importante aliado para enfrentar os distúrbios de sono e também podem ajudar a combater problemas atuais como estresse e ansiedade. Estudos científicos comprovam que a atividade física libera hormônios que ajudam no relaxamento, proporcionando um sono mais profundo, menos fragmentado e de qualidade.

Além de um impacto significativo no bem-estar mental, a atividade física promove saúde cardiovascular, força muscular e flexibilidade. Por isso, listamos aqui oito atividades físicas que ajudam você a encontrar maneiras saudáveis e prazerosas para cuidar da sua saúde.

Yoga

O Yoga combina posturas físicas, técnicas de respiração e meditação para promover o equilíbrio entre corpo e mente. A prática regular melhora o funcionamento do coração, pois regula a circulação sanguínea e o sistema nervoso, além de equilibrar o sistema endócrino, controlando os níveis de hormônios do estresse.

O Yoga ainda ajuda no controle da respiração, devido aos exercícios de expansão dos pulmões e controle da respiração.

Caminhada

Como todo exercício físico, a caminhada promove a liberação de endorfinas, neurotransmissores associados à sensação de bem-estar. Desta forma, essa atividade contribui para diminuir o estresse, a ansiedade e, de forma geral, melhora o humor.

Comece essa atividade física com um período curto, de 10 a 20 minutos. Pode ser inclusive na sua rua, em frente a sua casa. Com o tempo, aumente a intensidade e procure outros lugares para quebrar a monotonia, como a beira da praia ou parques. Não esqueça do alongamento, antes e depois.

Pilates

Esse método de exercício se concentra no fortalecimento do core (a faixa abdominal), melhorando a postura e a flexibilidade. Além de seus benefícios físicos, também pode ajudar a aliviar o estresse e a ansiedade, pois é composta de técnicas de respiração.

Para praticar o Pilates, procure um estúdio que tenha os equipamentos adequados para a prática, além da supervisão de um fisioterapeuta especialista no método.

Natação

Exercício de baixo impacto, a natação pode ser eficaz para reduzir o estresse e a ansiedade. A sensação de flutuar na água e a concentração na respiração ajudam a descansar a mente e o corpo, proporcionando um alívio imediato do estresse.

No inverno, procure nadar em piscinas climatizadas ou aquecidas, sempre com a supervisão de um professor ou monitor.

Dança

Essa é uma forma divertida e energizante de se exercitar, que também pode ser terapeuticamente benéfica. A dança também quebra o comportamento de isolamento que se acentua com o passar dos anos, e a proximidade das pessoas também ajuda a combater o estresse e a depressão leve ou moderada.

Escolha o seu ritmo predileto e procure uma academia no seu bairro ou cidade, escolhendo o melhor horário que se ajusta a sua rotina.

Corrida

A corrida é uma excelente forma de liberar tensões e clarear a mente, além de melhorar a saúde cardiovascular e aumentar a resistência física. Tudo porque, ao correr, liberamos endorfinas, que aliviam o estresse e a ansiedade.

Mas vá com calma. Procure estabelecer metas e evite realizar esse tipo de atividade física todos os dias, para não sobrecarregar as articulações, como joelho e tornozelo. Também tenha em mente a necessidade de escolher um tênis adequado e roupas leves, com cores claras, de preferência.

Beach Tennis

O “Beach” venceu não é mesmo! Essa atividade física  chegou com tudo ao oferecer uma experiência que promove a socialização e o bem-estar emocional, com a combinação de exercício ao ar livre e relaxamento. É indicado, principalmente, para quem gosta de competir, e de se desafiar.

Surfe

Essa atividade física é indicada para quem já tem intimidade com a natação e com os esportes náuticos. A partir de 30 minutos de exposição na água, você já terá encarado uma boa atividade física.

Isso porque o ato de surfar não está restrito a ficar em cima da prancha ou percorrer uma onda sobre o bodyboard.  Talvez você fará mais esforço para chegar até o local onde as ondas quebram, do que propriamente para entrar na onda e surfá-la.

Não esqueça de alongar antes e depois da prática, para evitar câimbras ou lesões musculares. E, claro, para surfar é imprescindível utilizar o equipamento adequado com o seu nível de prática e tipo físico, o que pode facilitar (e muito) a sua experiência, evitando qualquer frustração.

Confira mais dicas em nossas redes sociais!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


   Li e aceito a política de privacidade


VEJA TAMBÉM


Altenburg inaugura nova loja na região sudeste
Altenburg apresenta coleção Malharia Sem Igual – Vídeo
5 dicas que vão melhorar os seus dias de Inverno
Body Pillow: opção de presente para o Dia dos Namorados
1234