Bem viver
19
janeiro

Três sinais de alerta para fazer a troca do colchão

Uma boa noite de sono proporciona ajudar a tornar o dia seguinte incrível. Por isso, escolher o colchão ideal é tão importante. Tamanho, nível de conforto, textura, qualidade dos materiais e da fabricação, sustentação, tecnologia que fornece benefícios extras. Mas saiba que também é importante saber a hora de fazer a troca do colchão, pois o seu estado de conservação pode interferir diretamente no seu dia.

O colchão é parte fundamental do processo de bem dormir, afinal passamos de seis a oito horas deitados nele. Para evitar noites mal dormidas, é preciso ficar atento aos sinais que indicam a hora da troca do colchão.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), a troca do colchão deve ser feita a cada cinco anos, mas alguns fabricantes apostam até em sete ou 10 anos de vida útil para seus produtos.

Troca do Colchão

No entanto, as condições de uso e o estado do colchão devem ser levados em consideração na hora de decidir ou não pela troca, afinal o uso inadequado também pode encurtar a sua vida útil. Especialistas destacam também que as especificidades do uso diário de cada pessoa influenciam diretamente em um período mais curto ou mais longo para a necessidade de fazer a troca do colchão.

Por isso, vejamos alguns sinais no dia a dia que costumam indicar que aquele produto já não atende mais aos requisitos para uma boa noite de sono.

Só para você ter uma ideia, segundo dados do Instituto Nacional de Estudo do Repouso, mais de 100 milhões de brasileiros dormem em colchões vencidos ou inadequados.

Então, confira a seguir três sinais de alerta para saber qual o momento correto de trocar o colchão.

Despertar cansado e/ou  sentindo dores

Dormir e acordar com a sensação de cansaço ou dores é indicativo de que o colchão já não atende às necessidades básicas de conforto durante o sono. Isso ocorre porque o colchão perde a sustentação com desgaste da espuma, apesar de não ser visível.

Desta forma, o seu corpo não repousa de maneira adequada, provocando dores e aquela sensação de cansaço.

Crises alérgicas

Você começa a espirrar quando vai deitar para dormir? Bom, se você já efetuou a troca das roupas de cama e sabe que os travesseiros não são a origem do problema, então pode ser que o colchão esteja desencadeando a sua rinite alérgica.

Isso porque, assim como ocorre nos travesseiros, com o tempo de uso, ácaros, mofo e poeira se acumulam no colchão também. Desta forma, recomenda-se a troca do colchão.

Colchão deformado ou sem sustentação

Esse é um dos sinais mais característicos e evidentes de que chegou a hora de trocar o colchão. Isso ocorre a partir do desgaste da espuma ou de uma quebra de molas, fazendo com que o problema seja visível com o afundamento de determinada parte ou lado do colchão, provocando desconforto na hora de dormir já que o colchão não oferece a sustentação necessária para o corpo.

Gostou dessas dicas? Confira outros posts em nosso blog e acesse a loja on line da Altenburg para conferir produtos incríveis que garantirão a você uma boa noite de sono!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


   Li e aceito a política de privacidade


VEJA TAMBÉM


Estamos revolucionando o sono. Você vem junto?
Altenburg recebe uma das mais importantes premiações do setor hoteleiro
Qualidade do sono: qual a melhor posição para dormir?
Melhor Fornecedor da Hotelaria de 2023: Altenburg vence na categoria Travesseiros
1234