Bem viver
6
setembro

Dicas da Chris Flores: como lidar com o medo de dormir das crianças?

Sentir medo é algo que faz parte da existência humana, mas é preciso auxiliar as crianças a lidarem com esse problema tão frequente. Entenda

Não há problema nenhum em sentir medo. Ele faz parte da aprendizagem da criança e é importante para o desenvolvimento e o amadurecimento dos pequenos. Porém, é preciso entender qual a intensidade desse medo. Sentir pouco medo é normal, mas se o medo é muito grande, é preciso de um acompanhamento mais preciso de profissionais capacitados para lidarem com alguns traumas frequentes.

A partir dos três anos de idade, a criança começa aquela fase da imaginação, principalmente por ouvir histórias, conhecer os personagens e os vilões. Nesse momento, ela ainda não consegue separar a realidade da fantasia. Essa fase de projeção do medo nessas figuras pode ir até os sete anos de idade, que é mais ou a fase que a criança sente aquela insegurança de dormir sozinha, por exemplo. 

É por conta dessa insegurança que, quando a criança está sozinha, ela começa a imaginar que monstros, figuras e personagens dos quais ela tem medo estão naquele ambiente em que ela se sente desprotegida. O mais importante aqui, mamães e papais, é não tratar isso como uma bobagem, como se a criança estivesse mentindo ou inventando coisas que não existem.

O que fazer quando as crianças sentem medo de dormir?

Como eu disse, temos que prestar atenção nesse medo, ouvir, entender o que está acontecendo e nos colocar à disposição da criança para protegê-la nessa situação. Além disso, precisamos tomar muito cuidado com os estímulos que a criança possui diariamente, como a televisão, internet, acontecimentos na família, na escola, jogos de violência, filmes, histórias de suspense, terror, isso porque esse tipo de estímulo vai aumentar esse medo, piorar essa sensação. 

Temos que prestar atenção nesses estímulos para que a partir deles não aconteça a potencialização desse medo na forma de pesadelos, que atrapalham o soninho dos pequenos. 

Como a criança não consegue separar realidade da fantasia, ela acaba chamando por nomes lúdicos, como bruxos, fantasmas e monstros tudo aquilo que, para ele, representa um medo, uma insegurança e um possível trauma.

Por isso, caso esse sinal seja notado, preste atenção, pois algo em algum momento pode estar errado.

Os pais precisam ajudar

Sabem quando falamos: “Se você não dormir cedo, o monstro vai vir aqui e te pegar”? Não devemos fazer isso, pois essa atitude acaba estimulando o medo da criança e afeta diretamente a relação de confiança com os pais, que para eles são o porto de segurança.

É por isso que nós não podemos nem supervalorizar o medo e muito menos rejeitá-lo. Nós precisamos acalmar as crianças, abrir um diálogo confortável, para que elas possam explicar o que está acontecendo e de onde aquele medo está vindo. Com essa conversa, é possível criar alguns antídotos.

Entre na história

Se o seu filho disser que o medo está em uma história que ouviu na escola ou que você contou alguma vez para ele, procure entrar no conto e criar uma situação em que aquele determinado personagem desaparece ou demonstra seu lado bom, para que esse medo possa ir embora ou diminuir significativamente.

Tente ser o mais lúdico possível. Se quiser, crie um “repelente anti-monstros”, que vocês dois irão jogar no quarto antes de dormir para afastar todos os medos do seu filho.

Lembre-se dos heróis

Não esqueça de exaltar os heróis preferidos da criança. Tenha bonecos, bichinhos de pelúcia, alguma arte no quarto que lembre aquele personagem que derrota os monstros e faça a criança se sentir segura durante toda a noite. Brinque com o seu filho, chamando ele de “herói do quarto”.

Procure o monstro com uma lanterna

Antes de dormir, também pode funcionar apagar todas as luzes do quarto e fazer uma “ronda” com uma lanterna, apontando nos lugares em que a criança acha que o monstro possa estar escondido. Isso ajuda muito a criança a ver que de fato não tem nada em lugar algum e que ela está segura, e o quarto livre para dormir.

Além disso, aposte em músicas, livros e outros artifícios mais calmos e animados para que a criança tire aquela sensação de medo da cabeça e tenha contato com algo mais lúdico e feliz, diferente das histórias de monstros ou músicas que podem provocar medo, como a tradicional: ‘Boi, boi, boi, boi da cara preta”. 

Uma das dicas mais legais é criar aquela rotina de sono, com um banho quentinho, uma roupa cheirosa, quarto limpo, músicas calmas, relaxantes e todo aquele ritual, para que a criança sinta confiança no momento de dormir. Eu tenho uma dica bem legal também que é fazer com que a família esteja dentro do quarto, mesmo quando a criança está sozinha. Por isso, deixe uma foto com a mamãe, com o papai ou com a família toda, dizendo que aquela foto irá proteger o quarto todo e também a criança.

É um momento muito difícil, mamães e papais, mas é algo que todos irão passar em inúmeros momentos. Por isso, o principal ponto é dar todo o suporte emocional para que a criança se sinta tranquila e feliz e possa relaxar e ter sonhos deliciosos. Espero ter ajudado!

Até a próxima,
Chris Flores

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

VEJA TAMBÉM


Quais os melhores exercícios para o corpo e mente na terceira idade?
Você conhece o travesseiro Airflow da Altenburg?
Qual a relação entre a cafeína e o sono?
O que o nosso corpo faz enquanto dormimos?
1234