Bem viver
26
setembro

Mania de paulista

Quem mora em São Paulo já passou por um lugar assim:

caco5

Ou assim, não é?

caco6

Eis uma característica muito tradicional da arquitetura paulista: o chão revestido com cacos de cerâmica. Esse estilo de piso, extremamente utilizado entre as décadas de 60 e 80, surgiu a partir da criatividade de operários da indústria que, na impossibilidade de comprarem lajotas e ladrilhos para dar acabamento às suas casas, apostaram no descarte das fábricas de cerâmica de São Paulo.

Essa ‘invenção’ foi tão bem recebida pelas pessoas, que as fábricas que até então produziam as peças inteiras para a classe média da sociedade, passaram a quebrá-las para atender à nova demanda de mercado. Eis que a técnica do mosaico rendeu-se aos pés dos paulistas.

Hoje, com essa estória de dar novos significados a recursos já conhecidos, os caquinhos voltaram a ser hit, porém, saíram do composé vermelho-preto-amarelo-branco, para ganhar cores, desenhos e delicadeza.

caco4

caco7

Em áreas externas, os caquinhos dão um toque retrô e bem humorado, sendo extremamente durável e de fácil manutenção. A colocação desse piso é fácil e muito acessível também.

caco3

Nas paredes, criam verdadeiros painéis figurativos ou abstratos, tirando o décor do estilo previsível.

caco2

Numa única cor, sobre contrapiso de tom contrastante, fica muito moderno e estimula a memória afetiva de quem, na infância, conviveu com esse tipo de ambiente.

caco8

Aqui, os caquinhos inspiraram uma parede exclusiva, com recortes de papel de parede, ao invés dos pedaços de cerâmica.

caco9

E o que dizer desse corredor iluminado por um teto de cacos de vidro?

Fotos: Mulher- UOL, Casa Abril, A História do Mosaico

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

VEJA TAMBÉM


Quais os melhores exercícios para o corpo e mente na terceira idade?
Você conhece o travesseiro Airflow da Altenburg?
Qual a relação entre a cafeína e o sono?
O que o nosso corpo faz enquanto dormimos?
1234